movimento negro

Greves policiais, genocídio negro e a extrema direita

24 de novembro de 2016

Bruno de Matos Sá | A calamidade pública que levou o Rio de Janeiro ao caos tem produzido distintas reações políticas. Entre trabalhadores do Estado, há uma crescente onda de mobilizações e greves, juntando dezenas de milhares, com reivindicações democráticas e econômicas básicas. O movimento, que tem contado com importante solidariedade da população local, apenas na semana passada organizou cinco dias de manifestações contra as políticas de austeridade. Em paralelo a esta [...]

A Insurreição dos Malês

23 de outubro de 2016

Elber Almeida | Em seu livro, “Rebelião Escrava no Brasil: a história do levante dos Malês 1835”, o historiador João José Reis apresenta detalhes da revolta liderada por africanos que tomou as ruas de Salvador no dia 25 de janeiro de 1835. A revolta entrou para a história da resistência do povo Brasileiro, negro, que escreveu com sangue estas páginas. Uma cidade com maioria absoluta negra (71,2%) e grande parte africana (33,6%), sendo parte de um recôncavo baiano circundado por [...]

Relembrar Muhammad Ali Haj: da voz altiva ao nome –homem– de combate

10 de junho de 2016

Dedicado a Carlos Zacarias que, como poucos, sabe que não há viver sem lutar. Por Betto della Santa | «Em cada época é preciso arrancar a tradição ao conformismo, que quer apoderar-se dela. (…) O dom de despertar no passado as centelhas da esperança é um privilégio exclusivo do historiador convencido de que também os mortos nunca estarão a salvo enquanto o inimigo vencer. E esse inimigo até os dias de hoje não tem nunca cessado de vencer.» (Walter Benjamin, In: Teses sobre [...]

Sartre, Malcolm X e o ministro da Injustiça

11 de junho de 2014

Alvaro Bianchi Na peça Les Mains sales [As mãos sujas], de Jean-Paul Sartre, ambientada nos estertores da Segunda Guerra Mundial em uma França governada por um títere do nazismo, dois personagens se confrontam: o idealista Hugo e o pragmático Hoederer. Para atingir os fins desejados, Hoederer não media esforços e não recusava nenhum meio. Queria negociar com os fascistas, que apoiavam a Alemanha, e os liberais, sustentados pelos Estados Unidos para constituir um governo após o fim da [...]
[email protected]