Valério Arcary

Prefácio de Valério Arcary para “O Longo Bonapartismo Brasileiro”, de Felipe Demier

7 de maio de 2013

O livro “O longo Bonapartismo Brasileiro (1930-1964): uma ensaio de interpretação histórica”, de Felipe Demier, será lançado em breve pela editora Mauad X. Prefácio Valério Arcary Este livro de Felipe Demier é um trabalho que revela um jovem historiador com uma surpreendente maturidade teórica. Uma ideia central atravessa o livro. O autor argumenta que o significado histórico dos governos de Getúlio foi que ele garantiu, em mais de uma circunstância, e contra a vontade [...]

Por que o marxismo é otimista? (Parte 2)

1 de maio de 2013

Valério Arcary Napoleão creio, escreveu: “On s’engage et puis … on voit”(…) isto significa: “Primeiro nos engajamos em uma batalha séria, e depois vemos o que acontece.” Bem, primeiro nos engajamos em uma batalha séria em outubro de 1917 e, em seguida, vimos os detalhes do desenvolvimento (do ponto de vista da história do mundo foram definitivamente os detalhes) como a paz de Brest, a Nova Política Econômica, e assim por diante. E agora não pode [...]

Marx e a aposta estratégica no proletariado

27 de abril de 2013

Valério Arcary “A descoberta do ‘crédito gratuito’ e do ‘Banco do povo’, baseado nele, são as últimas ‘façanhas’ econômicas de Proudhon. (…)Não há dúvida que o crédito, como ocorreu na Inglaterra no prin­cípio do século XVIII, e como voltou a acontecer nesse mesmo país no princípio do XIX, contribuiu para que as riquezas pas­sassem das mãos de uma classe para as de outra (…) Mas é uma fan­tasia genuinamente pequeno burguesa considerar que o capi­tal que [...]

Por que o marxismo é otimista?

24 de abril de 2013

Valério Arcary Os revolucionários estão engajados em um projeto estratégico que sempre foi considerado otimista. A questão da disponibilidade subjetiva mais otimista ou mais pessimista em relação às perspectivas do socialismo permanece digna de interesse. Não há porque não reconhecer que o projeto revolucionário atraiu, preferencialmente, pessoas animadas por uma atitude otimista. Essa perspectiva sobre  o futuro da condição humana, e as possibilidades históricas da luta [...]

Reforma ou revolução: a estratégia dos conselhos e a força da democracia direta

11 de abril de 2013

Valério Arcary “A ausência de uma transição triunfante ao socialismo em um dos países capitalistas avançados é a questão. A debilidade crítica da primeira (posição) é sua dificuldade de demonstrar a plausibilidade de umas conformações de duplo poder em democracias parlamentárias consolidadas: todos os exemplos de soviets ou conselhos até agora surgiram em autocracias decadentes (Russia, Hungría, Austria), regimes militares fracassados (Alemanha), estados fascistas em [...]

O socialismo que queremos 2/2

14 de março de 2013

Valério Arcary “O primeiro ato em que o Estado se manifesta efetivamente como representante de toda a sociedade – a posse dos meios de produção em nome da sociedade – é ao mesmo tempo o seu último ato independente como Estado. A intervenção da autoridade do Estado nas relações sociais tornar-se-á supérflua num campo após outro da vida social e cessará por si mesma. O governo sobre as pessoas é substituído pela administração das coisas e pela direção dos [...]

Prefácio à biografia de Marx

8 de março de 2013

Valerio Arcary [Prefácio a Franz Mehring. Vida e obra de Marx. São Paulo: Sundermann, 2013.] A biografia de Marx escrita por Franz Mehring é um dos clássicos da literatura marxista. Não importa muito, no entanto, se o leitor tem ou não simpatia por Marx ou pelo marxismo. Esta biografia de Marx é um daqueles livros que provoca amor à primeira leitura. Não só porque Marx foi um homem admirável, ou porque sua vida foi extraordinária. Mas porque sua história nos é relatada com [...]

O socialismo que queremos 1/2

1 de março de 2013

Valério Arcary “Mas as forças produtivas não perdem sua condição de capital ao converter-se em propriedade das sociedades anônimas e dos trustes ou em propriedade do Estado. No que se refere aos trustes e sociedades anônimas, é palpàvelmente claro. Por sua parte, o Estado moderno não é tampouco mais que uma organização criada pela sociedade burguesa para defender as condições exteriores gerais do modo capitalista de produção contra os atentados, tanto dos operários como dos [...]

O marxismo e a natureza humana (parte 4)

25 de fevereiro de 2013

Valério Arcary “Vimos qual seria o significado, sob o socialismo, da riqueza das necessidades humanas e, portanto, qual seria o significado de um novo modo de produção e um novo objeto da produção: seria uma nova manifestação da  força essencial do homem e um enriquecimento novo da natureza humana.” (Karl Marx. Manuscritos econômico-filosóficos.) O tema da natureza humana nos remete a uma discussão teórica sobre o que são as necessidades humanas. A acusação dirigida [...]

O marxismo e a natureza humana (parte 3)

23 de fevereiro de 2013

Valério Arcary “A essência humana não é uma abstração inerente a cada indivíduo. É, em sua realidade, o conjunto das relações sociais.” (Karl Marx, VI Tese sobre Feurbach.) Os liberais alicerçaram sua argumentação sobre a condição humana em uma idéia chave: a premissa de que não haveria liberdade sem direito à propriedade. Liberdade e propriedade seriam indivisíveis. Seriam direitos inseparáveis um do outro, intrínsecos, portanto, essenciais. A natureza humana [...]
1 5 6 7 8 9
[email protected] [email protected]